Quando alguns fosseis de dinossauro começaram a ser descobertos nos Estados Unidos, durante o século XIX, Edward Cope e Charles Marsh viram a chance de deixar a sua marca nesse momento emergente da paleontologia. Os dois cientistas já eram conhecidos de longa data e tinham um relacionamento amigável.

Porém, conforme a busca pelo título de maior paleontólogo do mundo ia se intensificando, o clima de amizade diminuía. Após desembarcarem no oeste americano, a competitividade entre os dois era tão grande que veio a se tornar no que hoje é conhecida como a Guerra dos Ossos.

“mais ossos do que para uma dúzia de pesquisadores, porém seguiram acreditando que as conquistas de um era a derrota do outro”

Nos conceitos do Mudança de Mindset, estes dois pesquisadores adotaram o que chamamos de mindset dentro da caixa. Estavam exclusivamente focados nos seus próprios desafios, objetivos e necessidades.

Pior ainda… Estavam totalmente convictos de que o sucesso de um deles só seria alcançado com o fracasso do outro.

Péssimas decisões

Trabalhando separadamente, o desespero para ser o primeiro a catalogar uma nova espécie, levaram ambos a tomar decisões precipitadas. Na ânsia de começar logo a exploração, Cope montou uma equipe às pressas para iniciar seu trabalho. Já Marsh, um dos primeiros professores de paleontologia dos Estados Unidos e que recebia apoio da Yale Funds, passou a enviar espiões para monitorar o trabalho de Cobe.

Expedição de Charles Marsh
Expedição de Charles Marsh

Eles estavam tão preocupados em serem reconhecidos que documentavam as novas descobertas sem nenhum cuidado, simplesmente para ser o primeiro a cataloga-la. Além disso, publicavam sobre as mesmas espécies com nomes diferentes, o que criou um caos no recente campo de estudos. Os resultados foram tão ruins que só depois de décadas é que essa bagunça foi finalmente resolvida.

Competição a qualquer custo

“O que se seguiu foi um relutante esforço de Marsh para descreditar todo o trabalho de Cobe”, escreve o historiador Mark Jeffe. Dentre essas ações, houve ataques pessoais em revistas científicas feitas por ambos, incluindo alegações de fraude, fabricação de documentos falsos e até fosseis roubados.

Diante dessa grande oportunidade histórica de explorar um continente inteiro e cheio de possíveis descobertas sobre o passado do mundo, é interessante pensar como estes dois pesquisadores não se questionaram sobre formas de otimizar os achados. Ao contrário, suas únicas preocupações eram como eliminar seu concorrente.

Edward Cope - Paleontólogo envolvido na Guerra dos Ossos
Edward Cope – Paleontólogo envolvido na Guerra dos Ossos

Talvez o episódio mais lamentável dessa competição tenha sido quando Marsh suspeitou que Cope estava se aproximando de uma de suas escavações. O medo dessa suposição foi tão grande que Marsh ordenou a um de seus espiões que a destruísse, simplesmente para evitar que Cope encontrasse os ossos.

A competição se tornou uma obsessão para Marsh, ao voltar para Yale ele escondeu de quase todos, principalmente dos cientistas, o que veio a se tornar a maior coleção de fosseis de dinossauro do mundo.

As consequências de um Mindset Dentro da Caixa

Essa história ilustra como o mindset dentro da caixa pode influenciar a ambição excessiva. Quando acreditaram que seu sucesso só poderia ser atingido com o fracasso do outro, passaram a focar exclusivamente em si e reduziram o real potencial que tinham.

Esquema do Mindset Dentro da Caixa
Esquema do Mindset Dentro da Caixa

E a que custo?

Para Bob Bakker, paleontólogo que estudou o caso, “haviam mais descobertas do que o suficiente para ambos” e ainda completa “mais ossos do que para uma dúzia de pesquisadores, porém seguiram acreditando que as conquistas de um era a derrota do outro”.

Neste caso, a busca pelo sucesso dessa exploração se tornou maior do que suas próprias inspirações de vida. Gastaram uma quantidade imensa de tempo, dinheiro e energia no simples intuito de acabar com a concorrência. Por fim, ambos acabaram morrendo sozinhos e quebrados.

E aí pensamos… Quanto eles poderiam ter feito ao focar seus esforços no desenvolvimento do conhecimento? Quais foram os impactos na vida pessoal e profissional de ambos, ao adotarem um modelo mental dentro da caixa? E qual o custo disso para o resto do mundo? Neste caso, o custo foi astronômico! Milhares de espécies talvez nunca venham a ser conhecidas pela ciência, destruídas por dois homens que estavam obcecados com suas próprias descobertas.

Fonte:
How Self-Focused Inward Mindsets Destroyed Dinosaur Bones, Arbinger Institute, 20 nov 2017

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *