Esse é o momento de aprender novas lições, testar alternativas e ouvir mais os outros. Durante todo esse período de pandemia do Covid-19, conversamos com muitos diretores e empresários de várias organizações pelo mundo, com a intenção de aprender mais e ampliar as percepções desse novo ambiente.

Depois de analisar o conteúdo dessas conversas, conseguimos pensar a crise em três momentos diferentes: As 3 Ondas da Crise. Elas estão nos ajudando a identificar o momento em que estamos e a otimizar nossas entregas e resultados. Iremos apresenta-las com mais detalhes a seguir e esperamos que também possa lhe ajudar:

Primeira Onda – Caos e Incerteza

Assim como diante de qualquer situação nova, a primeira onda consiste no contato com o desconhecido, ou seja, o próprio caos. Cada um acaba se voltando para suas reações mais instintivas e deixa de analisar os fatos, é o conhecido estado de “fuga ou luta”. Esse comportamento é natural que é ativado quando não identificamos padrões conhecidos.

No entanto, só aprenderemos novos padrões a partir de maior conscientização do novo ambiente, analisando os fatos. A dica para sair da primeira onda é respirar fundo, manter a calma, olhar ao entorno e buscar entender como essa nova realidade funciona, quais os padrões e qual a atuação mais adequada sobre ela.

Segunda Onda – Adaptação ao Novo

A segunda onda consiste exatamente no momento em que nos acalmamos e entendemos os padrões desse novo contexto. Nesse processo, é provável que ainda sofreremos os efeitos deste ambiente, mas já conseguimos enxergar as mudanças ou objetivos que precisaremos alcançar.

Não é uma fase que nos traz tranquilidade, ainda estaremos analisando os fatos e vivenciando os prejuízos dessa atual situação, porém já a encaramos com mais realismo, buscando a melhor saída. Muitos já estão nessa fase e a dica é nutrir paciência e visão crítica. Nem tudo que faremos irá dar bons resultados e precisaremos testar novas ideias, sem perder o ânimo.

Terceira Onda – Saída da Crise

Estar na terceira onda é, sem dúvida, o objetivo. É realmente quando nos adaptamos e já incorporamos novos hábitos, voltamos à zona de conforto. Não quer dizer que nossas vidas voltarão a ser como antes, já teremos passado por muitos momentos difíceis e provavelmente muitas ideias que tínhamos não serão mais as mesmas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *