Neste texto conheceremos mais sobre os dois tipos de modelos mentais dentro x fora da caixa. E como uma mudança para um modelo mental fora da caixa pode resolver alguns dos desafios organizacionais mais comuns.

O que é o Modelo Mental?

Para a Arbinger, de um modo simples, o modelo mental é como vemos as situações e as pessoas. É a lente através da qual vemos nosso trabalho, nossos relacionamentos e nosso mundo. É o fundamento de tudo o que fazemos e como fazemos as coisas.

Os Dois Tipos de Modelo Mental

As pesquisas da Arbinger indicam que as pessoas operam em todos os momentos a partir de um dos dois modelos mentais: um dentro e outro fora da caixa.

Com uma mentalidade dentro da caixa, nos concentramos apenas em nossas próprias metas e objetivos pessoais, sem consideração pelo nosso impacto nos outros. Com essa mentalidade focada em nós mesmos, vemos os outros não como pessoas com suas próprias necessidades, desafios e objetivos, mas como objetos. Nós os vemos como:

– Meios para atingirmos nossos próprios objetivos e resultados.
– Obstáculos que estão no nosso caminho causando problemas
– Irrelevâncias que podem ser ignoradas

Dessa forma, não enxergamos o que os outros precisam e, portanto, podemos frustrar os outros ou criar conflitos. Podemos também culpá-los por nossas frustrações ou fracassos. Focados apenas em nossos próprios objetivos, talvez possamos prejudicar a eficácia ou os resultados da nossa organização ao pensar que estamos fazendo um bom trabalho!

No entanto, com uma mentalidade fora da caixa, vemos os outros como pessoas que são tão importantes quanto nós. Levamos em consideração suas necessidades, desafios e objetivos. E nos concentramos nos resultados coletivos. Nos sentimos responsáveis por fazermos bem nossos trabalhos, fazê-los de uma forma que ajude os outros, porque sabemos que seus trabalhos também contribuem para os resultados da organização, assim como o nosso.

Quando temos essa mentalidade, quando os outros são importantes para nós, naturalmente queremos ser úteis para eles. Então, ajustamos nossos próprios esforços para facilitar seu trabalho da melhor maneira possível. Em vez de culpar os outros por nossas frustrações ou nos sentirmos vítimas de nossas circunstâncias, começamos a ver novas possibilidades e soluções para nossos maiores problemas e preocupações.

Que tipo de modelo mental é necessário para uma transformação organizacional?

Esperamos que você tenha adivinhado! Uma mudança de modelo mental de dentro para fora! As organizações só podem resolver problemas internos e obter resultados inovadores, maximizando a medida em que seus funcionários trabalham com uma mentalidade fora da caixa, levando em consideração seu impacto sobre os outros e focando as necessidades da organização como um todo. Mudar para uma mentalidade fora da caixa é a mudança mais importante para acelerar o desempenho, facilitar a colaboração e aumentar a inovação. Ao implementa-lo na organização como um todo a inovação e os problemas são resolvidos mais rapidamente.

Como o Modelo Mental Fora da Caixa pode ajudar com os desafios organizacionais mais comuns?

Com uma mentalidade dentro da caixa, as organizações e os indivíduos pensam apenas em suas necessidades, desafios e objetivos em relação a um determinado problema. As organizações têm mais silos, são mais propensas a conflitos, à medida que os departamentos e escritórios se concentram na resolução de seus problemas. Eles protegem os recursos que eles atualmente possuem – à custa dos interesses organizacionais. Também é comum que culpem os outros por sua incapacidade de resolver problemas.

Com uma mentalidade fora da caixa, organizações e indivíduos se concentram em resultados coletivos. Eles têm conversas cruciais sobre alocação de recursos, funções e responsabilidades sem sentir a necessidade de proteger seus silos, defender suas decisões ou aparecer de determinadas maneiras. Percebem o problema de forma diferente, permitindo que vejam novas possibilidades de soluções e novas direções para a resolução de problemas.

A inovação de uma mentalidade fora da caixa se aplica em todos os níveis. Com uma mentalidade dentro da caixa, os diretores e funcionários do escritório evitam conversas cruciais porque são desconfortáveis, potencialmente contenciosas ou simplesmente estão muito no futuro para se preocuparem.

Com uma mentalidade fora da caixa, conversas cruciais são feitas com uma nova perspectiva. Eles são vistas como importantes para o sucesso da equipe e da organização. Baixo esse prisma, a gama de soluções possíveis se expande drasticamente.

Incentivamos os funcionários em todos os níveis a terem uma mentalidade fora da caixa. Como seria ver realmente seus líderes, colegas de trabalho, clientes e reportados diretos como pessoas? O que isso significaria ao atender às suas necessidades, desafios e objetivos? E como você pode aplicar essa nova mentalidade aos problemas que você enfrenta hoje?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *